O doce no palito sempre é o favorito em Portugal. Seja em uma festa junina, aniversários ou em uma tarde qualquer, essa sobremesa é presença garantida nas mesas dos portugueses. O sabor irresistível e a praticidade de comer com as mãos são alguns dos principais motivos que fazem do doce no palito tão querido.

Mas qual é a história por trás dessa delícia? A origem exata é desconhecida, mas sabe-se que os romanos já consumiam doces que eram preparados com vara de madeira. Com o tempo, o doce no palito foi se popularizando em festejos populares e, em Portugal, é considerado uma tradição.

Atualmente, a receita mais comum de doce no palito em Portugal é feita com base de leite condensado, mas há variações com outros ingredientes, como coco, chocolate e frutas. As formas também são diversas, desde as tradicionais bolinhas até as mais criativas, como formato de coração.

Outra curiosidade é que os portugueses costumam utilizar madeira de pinheiro longa e fina para preparar o doce no palito, pois ela é considerada mais segura e higiênica do que outras madeiras disponíveis no mercado. Além disso, a madeira dá um sabor e aroma especial ao doce.

Se você ficou com água na boca e quer experimentar essa delícia em casa, vamos deixar aqui uma receita simples e fácil de fazer:

Ingredientes:

- 1 lata de leite condensado

- 100g de coco ralado

- Palitos de madeira

Modo de preparo:

1) Em uma panela, misture o leite condensado e o coco ralado.

2) Leve ao fogo baixo e mexa sem parar até que a mistura comece a desprender do fundo da panela.

3) Retire do fogo e deixe esfriar por alguns minutos.

4) Molde as bolinhas de doce com as mãos e insira o palito de madeira.

5) Coloque em um recipiente e leve à geladeira por cerca de 1 hora.

6) Sirva e delicie-se com essa sobremesa tão especial!

Em resumo, o doce no palito é uma sobremesa tradicional e amada pelos portugueses. Sua história é incerta, mas sua popularidade e sabor são inquestionáveis. Experimente essa receita simples em casa e saboreie essa delícia com seus amigos e familiares.